terça-feira, junho 15, 2010

Voo em (S) das abelhas

Se o voo das abelhas tivesse uma categoria nas artes marciais, era sem dúvida o estilo serpente. Já por bastantes vezes tinha observado que não voavam em linha recta, mas sim em (S) quer na horizontal, quer na vertical, é um bailado autêntico, em que o conjunto confunde, e até chega a parecer uma sintonia com sincronismo em que o maestro é a natureza, a cadência e o ritmo são inconfundíveis de colmeia para colmeia.
Podemos ver isso neste pequeno filme, e ver sem medo, pois o som de fundo é das abelhas e não das vuvuzelas de um qualquer jogo do mundial.
O misto de cores da época, quer de perto, quer de longe, a temperatura quente que numa sombra é bastante confortável, o cheiro do campo misturado com o doce cheiro das colmeias, e o som, aquele zumbido frenético que acaba mesmo por se tornar viciante.


Um comentário: