domingo, dezembro 21, 2008

Ajustes no Apiário



Domingo solarengo, meio da manhã, temperatura de 16 graus, as abelhas em pleno voo, contentes e felizes, parece que antevêem o Natal, o meu espanto foi vê-las carregadas de pólen, a variedade de flores é tanta que as leva à colheita, ainda pensei em colocar-lhes um Cata-Pólen, mas para já ainda não.
À minha chegada ao apiário o Sr. Proprietário do terreno estava de saída, demos duas de letra e rimo-nos um bocado, meteu-me logo à vontade e disponibilizou uns materiais que por sua vez deram muito jeito. Serrei duas paletes ao meio que ficaram a fazer de estrado para colocar as colmeias, com uma tesoura de podar desbastei um antigo roseiral que se me prendia a roupa constantemente.
As abelhas ficaram logo frenéticas e em posição de ataque quando sentiram movimentações nas colónias, trabalhei sempre com muito cuidado evitando uma ou outra possível ferradela.
Observei-as durante bastante tempo, não fosse a hora do almoço chegar, ficava lá simplesmente pasmado a vê-las trabalhar.

video

domingo, dezembro 14, 2008

Ponto de Viragem

No novo apiário a temperatura era de 6 graus de diferença, o sol ainda espreitava, mal ajeitei as colmeias e as abri saiu logo uma lufada de abelhas em reconhecimento ao local e quem sabe para o desenjoo da viagem, estão carregadas de mel e bastante saudáveis, o novo local é bom, em breve mudarei o núcleo para uma colmeia. Agora vamos ver qual a sua adaptação e aceitação do novo local.

Aventura na neve

Todo o horizonte estava branco de neve, o céu com nevoeiro, as colmeias cobertas e eu que ia buscar uma colmeia e um núcleo para os transportar para o novo apiário a título de experiência , decidi ir buscá-las logo de manhã quando parou de nevar.
Para não molhar os pés meti-os dentro de uns sacos plásticos, maldita experiência a cada dois passos a subir com a colmeia ao colo escorregava e ia ao chão, decidi então ir buscar o carro para mais perto do apiário, descer foi fácil, subir é que foi complicado, derrapava por tudo quanto era lado, sem tracção às 4 e sem correntes a subida era impossível, rendi-me após umas dezenas de tentativas e fui buscar o Mestre-Duarte com o tractor para me poder rebocar, quando cheguei a casa com os pés alagados e frios a risota foi geral, só a Ti-Cecília é que me defendia de resto toda gente se ria da minha aventura o Mestre-Duarte já tinha lágrimas nos olhos de tanto se rir, o Pedro era só gargalhadas, a Marta riso após riso, a Natália além de se rir metia no meio uma coisa parecida com ralhar.
Almoçamos uma bela entremeada, um tintol na mesa, ao fim um café na máquina nova do Mestre. Fomos com o tractor até ao apiário e rebocamo-lo à primeira tentativa, com as colmeias já no interior do carro as abelhas sentirão logo a diferença de temperatura e começou logo a surgir o belo do Zumbido, já só fica a faltar 180km devido ao Marão estar com as estradas cortadas, mas correu tudo em perfeitas condições.


sexta-feira, dezembro 05, 2008

Colmeias com neve


(foto by Marta)

Dois palmos de neve foram suficientes para alcatifar de branco a paisagem e alterar a tempérie, porém as abelhas têm uma estranha resistência ao frio ajudadas pelas colmeias, isoladas por quatro paredes de madeira com uma camada de tinta e com o telhado em chapa inox. No seu interior, elas, encontram uma temperatura agradavelmente positiva. Ainda têm bastantes reservas de mel, o que lhes proporciona uma boa alimentação, é formidável assistir à sua sobrevivência ao frio.

sábado, novembro 22, 2008

Ouro sobre azul



Ouro Sobre azul

Quantidade qb



Abelhas fora da colmeia em plena cresta. Não se consegue quantificar a população de uma colmeia, as estimativas são de 50 a 70 mil abelhas, varia de colmeia para colmeia, numa colónia temos 3 grupos de abelhas, a rainha que é só uma, o zângão que é o macho (vários) e as operarias que estão em maior proporção, em conjunto formam a sociedade perfeita.
Podemos ver na ilustração várias em pleno voo, atordoadas pelo fumo, doutra forma era impossível o manuseio da colónia em segurança.

É lindo não é? é pois, eu sei que sim.

Ferradela



Duas abelhas viradas de costas, não é por timidez nem falta de educação, simplesmente estão a lamber um pouco de mel pousado na luva, mel fresco acabado de sair da colmeia, o mais rico dos nectares, o alimento mais completo.



Agora de perfil, na sua vaidade possante e seu perigo camuflado, mínimo descuido e zás, ferrão cá para fora, dizem os técnicos que a nossa abelha europeia, a Apis Melífera demora até 8 segundos para atacar, desde que é dado o sinal de alerta, mas para ferrar basta menos de 1, nunca cheguei a contabilizar os tempos para ver se estão realmente certos, no de ferrar mesmo sem o contar posso garantir que sim que é certo.

terça-feira, novembro 11, 2008

Mais um em estado selvagem

Numa aldeia numa casa de férias de uns primos de um casal amigo, lá para os lados de Chaves tem um enxame em estado selvagem, enxame esse que quero ir buscar e ficar com ele, já estou mentalizado na distância a percorrer, fazer quilómetros para lá e para cá não tem importância desde que no regresso o zumbido consiga rivalizar com o som do auto-rádio.
Pela pouca informação que tenho o enxame está no sótão, que parece ser de difícil acesso, no topo da escada fica um quadrado apertado que cede a passagem, o telhado baixo e a falta de luz... bem, se vou e não trago as abelhas... nem que tenha de gatinhar e sair enfarruscado pelo fumo, vou ter de ir preparado com todos os materiais disponíveis, vou cortar os favos de cera e amarrá-los aos quadros de forma a aproveitar o máximo possível.
A época é de frio e vão estar todas aconchegadas (espero eu) o que me vai facilitar a vida.
Vou massacrar a paciência ao casal amigo de forma a termos um encontro de agendas e programar a bendita viagem.

sábado, novembro 01, 2008

Colmeias de plástico

Ouvi falar recentemente de colmeias de plástico vindas do mercado Espanhol, o preço ate que é acessível, descreve o vendedor que é só vantagens, que para o inverno é formidável, é térmico, para a produção de mel é óptimo, os quadros das meias alças são também por sua vez feitos em plástico, e em vez de levarem cera laminada são compostos por uma peça única plástica com o mesmo molde da cera já puxada, a abelha não tem de perder tempo a faze-la e dedica todo seu tempo a tarefa do mel. Quase me sinto tentado a adquirir uma para as minhas experiências, mas ainda tenho muitas duvidas e muitas perguntas as quais não obtive resposta (porque será?).

-Estaremos assim a transformar a nossa trabalhadora abelha num insecto preguiçoso?

-Poderemos criar algum tipo de vulnerabilidade?

-Estará o comprador a financiar alguma experiência do vendedor e esperar pelo feedback?

Lembro-me do que li sobre quando decidiram alterar a medida do alvéolo da cera laminada só pelo lucro da produção do mel, resultado, agora temos a "a Varroa" (talibã das colmeias).

Estou bastante recetivo e no meu melhor estado vou adquirir uma colmeia para responder as minhas proprias pergutas.

segunda-feira, outubro 20, 2008

Alvorada

video

Logo de manha após a orvalhada ainda sobre as ervas menos expostas ao sol o enxame já dava sinais de grande actividade, é como se estivessem a espreguiçar e a preparar as asas para o voo diário

Inspeção de Rotina (vespas)

video

Durante uma simples inspecção de rotina ao apiario verificamos algumas vespas a rondar a zona, a quererem entrar nas colónias, vimos algumas lutas aéreas e claro como estávamos do lado das abelhas a missão era destruir as malditas vespas que por sorte ou não eram das pequenas (ufa).





E ali estavam elas todas perfiladinhas no interior da tampa da colmeia, foi uma chacina desigual, mas com o raio deste bicho não posso eu!!

sábado, outubro 11, 2008

Novo Apiario

Depois de muito batalhar e em conversa com o meu amigo Vítor V. consegui, e com o seu bom senso e ajuda, arranjar novo sitio para colocar algumas colmeias, parece um sitio ideal, tem tudo o que precisam, água boa, flores de várias espécies e épocas, uma encosta bem virada a sul, um muro silvestre nas costas e um bom alpendre só para ficar bonito.



Fica a 16 Km de minha casa, não é nada comparado com os 150 Km, distãncia do apiário principal, agora sim poderei fazer as experiências e observações e satisfazer as minhas curiosidades, o senhor proprietário do terreno parece ser aficionado ás abelhas e tem também a sua sabedoria, espero trocar impressões com ele de forma a enriquecermos o espírito mutuamente.

terça-feira, setembro 30, 2008

Luva de abelhas




Abelhas, e mais abelhas... é bom sentir o formigueiro causado pelo zumbido das suas asas.

segunda-feira, agosto 11, 2008

Cresta 2008

Quando cheguei ao apiário a equipa já levava 12 alças crestadas, rápido me juntei a eles pois já tinha saudades de ouvir o zumbido singular produzido pelas minhas queridas meninas.
Dei uma volta pelo local, passei os olhos por umas quantas colónias interessantes e desfrutei da paisagem, deu para relaxar da viagem e recompor-me da meia dúzia de infracções que cometi, estava com uma directa embora o sono se sentisse, a vontade e o querer despertava a adrenalina, a primeira coisa que fiz foi pegar num pedaço de própolis e mascá-lo, o sabor é sempre amargo mas isso é um mal menor, de escova na mão juntei-me ao mestre Duarte e de 12 passou logo para 24 que foi aumentando, aumentando, e, antes do almoço 85 alças já estavam crestadas e limpas de abelhas.
Terá sido impressão minha ou não este ano o gado estava mais manso, lembro-me de anos anteriores que nem o fumo as acalmava, será do clima?
Com a carrada de alças já composta e a barriga a dar horas, a melaria era o nosso destino, havia uma feijoada bem boa a nossa espera feita pelas mãos da Ti Cecília e da Natália.
Pela tarde a música já era outra, era o extractor nas mãos do Fernando que desta vez compunha a sinfonia, quatro a desopercular não dávamos vasão a sua sintonia de extrair e arrumar os quadros.
Ferradelas a mim foi só duas, ao Zé outras tantas, o Pedro é que foi o mais sacrificado hehehe, ao Sr. Eduardo, convidado de honra este ano é que até no pescoço andavam e pouco se queixava (ah apicultor!!).
Numa pequena pausa bebemos refresco de mel, simplesmente delicioso.
Resumindo, foi uma boa cresta e um bom convívio, agora toca a enfrascá-lo, a próxima etapa é cuidar bem das meninas para que no próximo ano tudo se repita e de preferência sem infracções.


sexta-feira, agosto 01, 2008

Que sorte

Tenho a cresta marcada para dia 9 de Agosto e estava nomeado na minha escala de serviço, vi a minha vida toda a andar para traz, felizmente existe gente com alma e coração, pedi ao meu colega Marques que compreendeu logo de antemão e se disponibilizou e prontificou a assegurar-me o serviço e cedeu-me a troca, claro que a destroca vai ser logo no próximo fim de semana, mas é por uma boa causa e por uma situação pela qual levamos um ano inteiro de trabalho para ser efectuado, o porquê de ter de ser nessa data, é devido a ser a única altura em que a maioria da equipa se pode reunir, todos temos actividades diferentes mas a paixão pelas abelhas é quase unânime em todos nos, ao fim ao cabo trabalhamos quase a bem dizer como uma colmeia.

domingo, julho 20, 2008

Teimosia qb

Num dos passeios com o Mestre Duarte deparamos com um antigo apicultor que por ter ficado sem abelhas deixou de o ser "Eu sei bem o que a apicultura custa!!", "Ninguém me venha dizer o que são abelhas!!" Pela conversa fora e a tentar descobrir o paradoxo desaparecimento dos seus enxames populosos e fortes, sugeri então o que já tinha lido, colapso nas colónias, ai jesus palavra que foste dizer, irritado o homem nem me deixou acabar e teimou a pés juntos que as abelhas tinham sido roubadas durante a noite por especialistas altamente treinados não demorou dois segundos para que o interior do meu cérebro desse tilt, é que quase acreditei no que o homem estava para ali a dizer, só ao terceiro segundo cronológico é que realmente vi que ele não batia bem da caçoleta, "mas quais radiações, mas quais pesticidas, mas quais que???!!!","foram roubadas e mais nada", ate me custava a crer que o pobre homem acreditava naquilo que a sua cabeça pensava, o melhor que fizemos foi ignora-lo, mas tive pena pelas abelhas desaparecidas, o apiario dele estava a pouco mais de 15km do nosso o que me deixa um pouco preocupado.

quinta-feira, junho 19, 2008

Mais um novo enxame

Bem qual foi o meu espanto ao receber um telefonema do mestre Duarte, aconteceu alguma coisa as abelhas pensei eu, e não é que aconteceu mesmo, o bom é que foi pela positiva, quem iria suspeitar que uma colónia nova do mês de Abril já com três alças encima iria enxamear??
Parece que o mestre teve uma tarde bem passada e bem divertida, pelo que me contou o enxame andava em pleno voo, foi preciso mandar muita mas muita terra para as orientar, lá poisaram num silvado, metade do trabalho estava feito, com a tesoura de podar lá conseguiu abrir caminho até ao enxame, pelos vistos é forte, e ainda bem. Já mora numa nova casa, para este ano não acredito que produza grande mel, mas a ver vamos, nesta altura ainda vamos tendo alguma floração, para o ano que vem acredito piamente que vai rivalizar com as colónias vizinhas.

quarta-feira, junho 18, 2008

Cata pólen

As abelhas não têm descanso na colecta do pólen na sua actividade intensiva.
Ao passarem para o interior da colmeia, o pólen agarrado nas suas patas fica para trás e cai num recipiente onde fica guardado e armazenado até ao fim do dia, altura em que é depois recolhido pelo apicultor.
Estes cata-pólen feitos em plástico são úteis mas têm os seus defeitos, é necessário furar a colmeia para a sua aplicação, o que vai interferir com o bem estar das abelhas e o recipiente onde o pólen é guardado (gaveta) só sai quando retiramos a corrediça perfurada, existe ainda outro modelo no mercado, feito em madeira mas também não é perfeito, a gaveta sai sem se tirar a corrediça mas, em vez de sair para a frente sai na lateral, o que implica ter as colmeias mais separadas. O bom dos de madeira é que têm uns apliques onde não é necessária nenhuma furacão, pena é não dar para todos os tipos de colmeia, mas lá no meio de mais prego menos martelada (ajustes) o que interessa é que, ao fim do dia o pólen seja recolhido e depois tratado.



Remodelação da sala de extração

A melaria já precisava de uma remodelação, com o aumento da produção do mel o espaço estava a ficar apertado, o mestre Duarte pôs mãos a obra e aos poucos a melaria vai tomando forma, esperamos que esteja concluída antes da cresta.



quarta-feira, junho 04, 2008

Revista "O Apicultor"

Como um bom apicultor deve manter a informação em dia e estar a par das novidades resolvi e ainda bem tornar-me assinante da maravilhosa revista "O Apicultor" já tirei varias ilações e conclusões só ao ler dois ou três artigos.
É um verdadeiro mundo, é o nosso mundo, a paixão pela apicultura em geral.
Uma revista virada só para apicultores, aficionados e para quem gosta de uma boa ferradela, deveria de ser também para o publico em geral, era uma forma de mostrar o quanto a apicultura não é fácil e em Portugal, é quase impossível e mostrar aquelas pessoas (à nata da cultura) que com comentários ridículos me tiram do sério, tipo : "tens colmeias? então é só lucro! ", " o mel esta duro? então esta estragado!!", e muitos mais comentários que irrita só de pensar neles mas enfim é a nossa cultura.
Outra coisa é que o mel não é um medicamento mas sim um alimento, todos os medicamentos naturais são alimentos, tal como o mel o é, aos carolas deste pais deveriam incluir o mel no desenho da roda dos alimentos!

sexta-feira, maio 30, 2008

Ai o meu rico enxame!!

Ai o meu rico enxame que esta para morrer, aquele enxame que apanhei no principio de Maio em estado selvagem, o Mestre Zé-Duarte diz que pode sobreviver mas tem as suas duvidas, o enxame é fraco, é pequeno e tinha os favos da criação virados para baixo e ainda por cima o clima esta a estragar tudo, esta chuva que já irrita não deixa as abelhas saírem em busca de alimento, esta a ponderar meter-lhe um alimentador mas vamos aguardar mais uns dias para ver se vem alguma aberta jeitosa com uns raios de sol próprios do mês.
Gostava mesmo que este enxame sobrevivesse, pois para mim tem um significado especial, conheço cada abelha daquela colónia, e foi a primeira rainha em que mexi.
O mestre transferiu a colónia da colmeia para um núcleo de 5 quadros assim as probabilidades são outras, sempre que la vai leva uma bela de uma ferradela, é uma saudação um pouco esquisita.
Estou ansioso pela próxima folga, quero ir ver como estão e fazer a minha visita ao apiário.

quinta-feira, maio 22, 2008

Pólen

O pólen é um super alimento que deve de ser administrado por toda a gente, claro que não é a colherada, nem em doses industriais, basta falar com o distribuidor ou vendedor local que ficamos logo com umas luzes sobre o assunto.
Ficou decidido entre eu e o Mestre Zé-Duarte que este ano íamos tentar retirar algum pólen de algumas colmeias só mesmo a titulo de curiosidade, começamos por recolher informação, muita dela na Internet, e só alguma na voz do povo, o que é de lamentar, adquirimos alguns cata-pólen a preços completamente diferentes o que cria revolta, mas pronto..., e claro para o trabalho ficar como deve de ser o pólen tem de ser tratado e para isso precisa de maquinaria a qual fiquei de boca aberta com os preços do mercado, decidi então fazer a minha própria maquina de secar pólen, entre mais de muitas horas de pesquisa e com alguma da ajuda da tão boa sabedoria da voz do povo comprei uns materiais a rigor e actualizei a minha caixa de ferramenta, como só ia para o emprego de tarde, aproveitei a parte da manha climaticamente chuvosa, sem acordar a vizinhança entre serradelas e marteladas já se nota obra feita, se tudo correr bem dentro de dois dias aquela maquina milagrosa estará a funcionar a um preço inferior a 3/4 a do mercado.

segunda-feira, maio 19, 2008

Cresta 2006

Este episódio foi numa cresta em Agosto de 2006, em que o Fernando (aficionado pela apicultura) tinha o material inapropriado para a situação, a mascara mal posicionada devido ao excesso de confiança deu origem a que as abelhas bastante furiosas entrassem e se defendessem.
Foi uma correria até ao topo da colina, entre gargalhadas e ferradelas la foi tirando os ferroes um a um, o trabalho não ficou por fazer, de tarde após o almoço já tínhamos provado o delicioso néctar, assim a final de contas quem não gosta de ser ferrado?
video

sexta-feira, maio 16, 2008

Melhor adagio

A abelha, gado do vento, conhece o dono que a trata bem e, farta, não ferra ninguém.

domingo, maio 11, 2008

Enxame colhido

Na continuação do ultimo post, foi um fim de semana muito produtivo, pois o enxame estava la no sitio esperado, e não era só isso que me deu alegria, foi uma coisa que nunca tinha feito nem visto, um enxame jovem no seu estado selvagem com os favos ainda frescos com a cera branquinha e mole, sem fumo nem espátula, escova ou outro material as minhas únicas ferramentas eram o fato e as botas, tinha de ser meticuloso e aproveitar a ocasião do céu estar coberto e o dia ventoso, pedi uma faca emprestada e com muito cuidado cortei os favos um a um rente ao tecto pela parte dura pelo própolis e meti-os numa colmeia no sitio dos quadros, a rainha teve mais sorte pois foi para o interior pela minha própria mão.O meu amigalhaço Zé, aquele que me levantou, sim esse que me acordou só se ria do outro lado do vidro na segurança do interior da casa com o resto da plateia, o Jorge, o amigo dele e a esposa e uma outra senhora a dona da casa que me emprestou a faca.
Com o enxame colhido a minha única preocupação era leva-las para o apiário, nem pensei duas vezes, meti logo mais 130Km na carrinha com um zumbido abafado pela musica do radio vindo da bagageira, quando la cheguei perto das 20H00 já o mestre Zé Duarte me esperava e juntos levamos o novo enxame para o seu respectivo lugar.








quarta-feira, maio 07, 2008

Convite para apanhar um enxame

Estava eu no meu belo soninho quando recebo um sms do meu amigo Zé para ir ao messenger, la vou eu com os olhos cheios de remelas, quando o meu espanto e contentamento que a janela me escrevia que havia um enxame perdido num jardim de uma vivenda particular em Matosinhos, e se eu queria ir la busca-lo, bem, claro que a resposta é afirmativa, passei a cara por agua e liguei logo ao mestre Zé-Duarte a contar-lhe a peripécia e ao qual me aconselhou a ser o mais breve possível pois o enxame não fica parado muito tempo no mesmo sitio, e la me deparei eu com umas dificuldades, primeiro não tinha nenhuma colmeia pronta nem nenhum núcleo disponível e em segundo lugar se a pessoa não quer as abelhas no quintal dela onde as vou eu meter ate me deslocar ao apiário? Entre telefonemas e contactos la resolvi o primeiro problema e um núcleo apareceu logo, o segundo problema se a colmeia não puder ficar no quintal dois ou três dias la vou eu ter de fazer uns quilómetros extras para meter o novo enxame no seu habitat natural, agora só falta saber a disponibilidade da pessoa e ir buscar as feras.
Prometo levar maquina fotográfica e anexar ao post.

domingo, maio 04, 2008

Enxame novo



Um novo enxame acabadinho de sair, mês ameno, dia solarengo, condições propicias, e a sua beleza natural.





video(Vídeo)

video(Vídeo)