domingo, fevereiro 08, 2009

Fim de semana Apícola

Mais um fim de semana apícola, o alerta estava amarelo mas ainda bem que não passou disso, no meio de muitas actividades o trabalho ficou completo e perfeito.
Foi preciso substituir muitos estrados que já se encontravam em estado deplorável, algumas caixas que já tinham as laterais empenadas, e subir umas vigas de apoio às colmeias que, com o tempo e as chuvas se afundaram, a dois tudo foi muito mais fácil.
Tinhamos sempre abelhas a guardar-nos, parece que nos observavam e sabiam que estávamos a zelar por elas.
Derreter as ceras e fazer aquele típico formato de queijo das ilhas, meter arames nos quadros para à posterior lhes ser colocada a cera moldada, tudo isto são tarefas que demoram o seu tempo e requerem a sua arte e sabedoria, eu e o Mestre Duarte para além de abelhas falávamos de tudo, quando demos por nós a conversa parecia estar sempre a meio, mas o tempo passava e o sol já a esconder abria o apetite para recolher para junto do quentinho da lareira, só o fizemos quando terminada a actividade no terreno.
A Natália parece mais entusiasmada com as meninas, tirou algumas fotos, e com mais sorte que eu foi em período de sol.
A viagem de regresso foi com mais uma colmeia na mala, desta vez e devido ao clima tive de vir com cuidado redobrado o que gerou chegar ao apiário já de noite e bem escuro, pousei a colmeia e regressei a casa, em breve irei ver como se estão a comportar.



Foto by Natália

2 comentários:

Montedomel disse...

O amigo Mário tem mesmo uma predilecção por andar com o carro cheio de abelhas.
A última vez que fiz isso (mais uma história), era noite e eu transportava um núcleo com um pequeno enxame, para oferecer a uns amigos. O núcleo vinha na traseira de um carro comercial e muito mal acondicionado.
Tanto eu como a Luisa iamos desequipados, tal era a confiança.
Íamos completamente distraidos a ver as lebres a correr á frente do carro. Às tantas, ouvimos aquele ruido característico da água a "ferver", e instintivamente olhei para trás. Pouca coisa me provoca tanto o riso como um enxame de abelhas "à solta" dentro do carro. Detive-me uns segundos a vê-las invadir o carro todo, e quando olhei para a frente, vi a Luísa lá longe, ainda não tinha alcançado as lebres, mas já não faltava tudo...
Montedomel

Mário disse...

Hehe, somos mesmo privilegiados e podemos viver momentos como ninguém.